sábado, 19 de fevereiro de 2011

levitante

... lá vem ela longe do chão:
  • É que o mês é especial, marca o nascimento de Arcangelo Corelli, em 1653, então, não dá pra não dizer nada sobre isso.
  • É que Corelli fundou o classicismo na música erudita, com a publicação póstuma dos 12 Concerti Grossi, representando uma nova forma de composição que influenciou definitivamente o estilo musical da época.
  • É que o Concerto Grosso acontece pela oposição de 2 grupos instrumentais: um pequeno concerto ou concertino, a maior parte das vezes formado por 2 violinos e um baixo, e um grande concerto ou concerto grosso, que dá o nome ao conjunto e se parece com a sinfonia, tanto pela formação instrumental como pela escrita.
  • É que suas obras foram referência para as criações de caras muito importantes como Bach e Händel.
  • É que em 40 anos de carreira, Corelli produziu 5 livros de sonatas e 1 de concertos, onde tudo está em perfeita proporção, ao mesmo tempo no plano da forma, do estilo e da escrita.
  • É que apesar de pouco conhecida para a maioria das pessoas, sua obra é uma espécie de bíblia da música instrumental e da técnica do violino, dela parte toda a evolução posterior.
  • É que de todas as formas clássicas que sobreviveram até hoje, foi o concerto que mais rapidamente se impôs, com mais força, muito particularmente graças ao gênio de Vivaldi, aluno de violino de Arcangelo Corelli.
  • É que o gosto do contraste, que o espírito do concerto ilustra magistralmente, é a própria essência do estilo concertante e uma das principais características da época barroca.

Adagio do Concerto Grosso para dois violinos, violoncelo, cordas e baixo contínuo em sol menor "Fatto per la notte di Natale", op.6, nº8, realizada com réplicas dos instrumentos originais, por São Francisco Early Music Ensemble, Voices of Music.
É que tudo soa perfeito, assim é Arcangelo Corelli!

Eu, longe do chão, dentro do barroco, mas nada de anjinho. E é na falta de vocação pra anjinho onde moram minhas melhores virtudes.


Nenhum comentário: