quarta-feira, 23 de março de 2011

garbo de estrilos


!!O Susto!! ...da poesia pura de quem usava seus próprios pés, sabia andar. Do poeta e escritor Mário Quintana em incansável pensar pelas pedras da rua da praia - naquele porto alegre. Sim, ele tirava leite de pedras! Dono de imensa generosidade, ofereceu-me as saídas do major Pitaluga. Dali pra frente, os encontros do meio, partilhados em metade.

...foi na construção de um sorriso junto, no meio da batalha, num mar de letras, que encontrei a vogal e duplos ss de tantos ais. Retribuo presente num clique, e sorrio feliz, com tanta água e ar.

E na andança, na estrada do violeiro, num cordão sem ponta pelo chão desenrolado, com as letras que dispunha - sempre só com o que eu tenho - com o A
e duplos SS de tantos ais, refiz minhas ASAS, soprei volta no vento e voei a paz do abismo do voo.


O Susto, Sapato Florido, p.116, Ed.Globo, 1948, na voz de Paulo José.
Paulo Coração, Haja o que Houver, Pedro Ayres Magalhães.
[porque 'nenhuma inteligência deve ser subestimada ou desrespeitada']




Nenhum comentário: