quarta-feira, 4 de maio de 2011

melodia


Andante, neste mês de maio completo mais uma viagem em torno do sol. O certo é que se tudo fosse Aurélio, Rejane, pra mim, seria uma melodia infinita: "A que se desenvolve livremente, sem obediência a nenhuma forma preestabelecida."


Eu sou meu doce e amargo lar, memória de um lugar querido, qualquer lugar.



Nenhum comentário: