quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

bastão de lume


vivências newtonianas em acordes de sentidos absolutamente poéticos,

sílaba a sílaba, traço a traço, perquiriam qual força prende a lua a sua órbita
... e seria de suma gravidade a não compreensão.



Nenhum comentário: